sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Dicas para quem vai morar sozinha


Quando se toma a decisão de morar sozinha, tem tudo para correr mal, tratar da água, da luz, do gás, da televisão/internet, fazer as malas, contactar imobiliárias, comparar preços, ir ver casas, contactar com o senhorio, negociar alguns pormenores da casa, conhecer o bairro/cidade nova, conhecer os vizinhos/colegas, avaliar estacionamento, analisar os serviços disponíveis nos arredores como bancos, farmácias, padarias/pastelarias, centros de saúde, correios... Estes em regra estão no centro da cidade e se vais para uma cidade nova, em que não conheces nada, nem ninguém, o centro poderá ser a melhor solução para ti, até te ambientares, depois de conheceres bem a cidade, o ambiente, aí sim, podes pensar em mudar para os arredores, onde as casas são mais baratas. 





Seguem-se umas dicas úteis para quem vai agora morar sozinha e quer evitar que as coisas corram pelo pior.

  1. Adere ao débito direto: Com a correria do dia-a-dia e os prazos de pagamento diferentes para todos os serviços a tendência para nos esquecermos de pagar as contas pode ser um inimigo a combater. Se não queres ir tomar banho e correr o risco de a água subitamente deixar de aquecer em pleno inverno a rondar os 6 graus negativos, o débito direto pode ser o teu melhor amigo. Ainda mais naqueles serviços em que a sua subscrição traz alguns benefícios como descontos, mensalidades gratuitas num período limitado de tempo e a utilização de mais serviços que apesar de não serem contratados depois de oferecidos dão muito jeitinho, entre outros.
  2. Avalia as tuas necessidades: Se vais trabalhar 10 horas por dia, ao fim de semana tencionas ir para casa dos pais, ou ainda, se trabalhas de dia e estudas à noite, se calhar o pacote de 150 canais não seja o que mais precisas, visto não teres muito tempo para ver televisão e como tal usufruir deste pacote mais caro. Se vais morar sozinha devido a estares a tirar um curso superior noutra cidade e não tens intenções nenhumas de conviver com estranhos, arrendar um T3 talvez não se justifique, mesmo que tenhas kg e kg de roupa.
  3. Não gastes mais que a tua taxa de esforço: Na hora de arrendar uma casa define uma taxa de esforço consoante o teu rendimento mensal, isto é, se ganhas 600 euros mensais, a renda não deverá ultrapassar os 60% deste valor, logo os 360 euros para conseguires pagar as restantes despesas e ainda fazer uma poupançazinha que dá sempre jeito.
  4. Organiza-te: Este será um tópico a desenvolver futuramente, nada mais prático, poupa tempo, previne dores de cabeça, permite gerir melhor os gastos e desperdícios.
  5. Tem um documento onde organizas todas as tuas finanças: Posso sempre fazer num futuro próximo, se assim quiserem, e explicar o seu funcionamento. Nada melhor do que controlares e teres uma visão geral para onde é que o dinheiro voou este mês, sim ele voa.
  6. Cria as tuas próprias regras: Sim eu sei, o melhor parte de morar sozinha é mesmo não ter que respeitar as regras de casa dos pais, mas a ausência de regras dá lugar a uma anarquia, e esta por sua vez, ao stress, às dores de cabeça, à desorganização, que diminui a tua disponibilidade social e rendimento profissional, afetando a tua vida. "Eh que exagero!" Não é! Dormir num quarto desarrumado pode provocar insónias, por exemplo, e aí temos as consequências já mencionadas. Por isso meninas definam a regularidade com que vão arrumar a casa, fazer as limpezas mais a fundo, a regularidade com que vão cozinhar, o regime de visitas, tudo vale para garantir a harmonia e tranquilidade do vosso lar, doce lar.
  7. Mantém uma imagem credível: "Então eu saí de casa para não dar satisfações a ninguém e agora vens-me falar em manter uma imagem credível?" Sim, não tens de facto dar satisfações a ninguém mas é sempre bom ter uma boa imagem junto da vizinhança. Por isso meninas respeitem as regras do prédio/condomínio, não façam barulho em horários impróprios, sejam sempre educadas, não deixem lixo à entrada a emitir cheiros. Ninguém gosta de vizinhos barulhentos que não respeitam o espaço dos outros.
  8. Investe dinheiro para poderes poupar dinheiro: Isto faz todo o sentido, há alguns gestos ao nível da habitação que se podem refletir num futuro a médio prazo e que devem ser adotados. Por exemplo comprar lâmpadas económicas. Mas podemos num futuro explorar este tópico, pois tem muito o que se lhe diga.
  9. Mantém-te profissional: Não é por morares sozinha que deves descuidar o horário de entrada no trabalho só porque ficaste a ver televisão até tarde e no dia seguinte estás cheia de sono. Manter o emprego ou a bolsa de estudo/estágio nunca foi tão importante, pois ficas sem qualquer maneira de te sustentares e gerir a tua própria casa. E por isso mesmo convém manter os laços com os familiares, mesmo que mores longe, pois é com eles que podes contar nas horas de maior aperto.

Estas foram algumas dicas para quem vai morar sozinha. Como podem ver há muitos tópicos que podem vir a ser explorados futuramente. Que acham? Querem que sejam explorados? Sugerem novos tópicos?


Márcia Ferreira

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

A Estraga Prazeres

Chegou o momento em que vais morar sozinha, já estás entusiasmada com a ideia de seres tu a mandar no comando da televisão, acabaram-se as horas a ver aquela novela chata que a tua mãe tanto gosta, ou os jogos de futebol que o teu pai insiste ver sempre à hora da tua serie preferida, abaixo esses dias! Além de não perderes os teus episódios preferidos, ainda os podes acompanhar com a comida que queres, ora pizza, ora hambúrguer, ora qualquer coisa que está no frigorífico que até agora ainda não desapareceu, como acontecia outrora, tudo vale desde que não seja o peixinho cozido da mãe, mas sintam-se já informadas, em algum momento irão sentir saudades da comida da mãe. Deliras com a ideia de poderes seguir os teus horários, comer à hora que te apetecer, acordar mais tarde, pois não tens que esperar na fila do WC e o mais importante quando ficas até de madrugada no computador não tens que ter mil cuidados para não acordares ninguém, mas lembra-te que tens vizinhos e nem todos são aquele gato super compreensível, que te empresta o sal em tronco nu com os abdominais que te fazem conter a respiração, como nos filmes.


De facto morar sozinha tem um conjunto de vantagens, mas também tem as suas desvantagens, sempre que ficamos doentes temos que nos desenrascar sozinhas, cozinhar só para nós é tão chato, mas tão chato que muitas refeições ficam por fazer, é sempre a nossa vez de lavar a loiça e terás que aprender a nadar no mar de contas que te vão aparecendo. 



O processo de morar sozinha exige uma preparação prévia, mas há muitas coisas que se aprendem com o tempo e já depois de estares na tua casinha:

  1. É impossível um ser humano sobreviver à base de cereais, mesmo que varie de sabor, terás mesmo que aprender a cozinhar.
  2. O papel higiénico que até então aparecia no WC com um toque de magia, terá que fazer parte da listinha de compras, isto claro, se quiseres ter de reserva. E nunca, mas nunca deixes esta acabar.
  3. O lençol tem que ser mudado e se fazer uma cama todos os dias já é cansativo, fazê-la com roupa lavada, prender lenços, distinguir o de cima do de baixo, meter os cobertores pesados, edredão, protetor do colchão...ufa estamos num nível mais avançado.
  4. Provavelmente quando pensaste em morar sozinha a 1ª coisa que te passou pela cabeça foram FESTAS, vais aprender que as festas requerem pessoas e as pessoas sujam e TU é quem depois limpas.
  5. Ir ao supermercado deixa de ser divertido e por mais que planeis e faças listas do que realmente precisas de comprar, vais sempre comprar porcarias.
  6. A janela não se arranja sozinha, o frigorífico avaria sempre no mês que estás financeiramente mais apertada.
  7. Pelo sim e pelo não, convém ter sempre uma vela/lanterna à mão, nunca se sabe quando uma lâmpada irá se queimar, sim elas queimam!
  8. A chave tem que estar sempre na mala, ou no bolso, em momento algum tires de lá, só para abrir e fechar a porta, claro.
  9. Depois de passares a manhã toda a limpar a casa, à tarde ela já está suja.
  10. O lixo parece que se enche sozinho.
  11. Aquela imagem de um frigorífico cheio e com alimentos coloridos é uma utopia.
  12.  Comer sai caro e provavelmente deixas de comprar aquela roupa gira, ou carregar o cartão do telemóvel para ir ao supermercado, eu já avisei que deixa de ser divertido!
  13. O WC é sempre a 1ª divisão a ser limpa.
  14. O micro-ondas vai-se tornar o teu melhor amigo.
  15. O número da tua mãe vai ser SOS na hora de cozinhares, irás sempre ligar a perguntar como se faz arroz, massa, feijão ou uma sopa qualquer...
  16. Quando te esqueces de alguma coisa não vais poder chamar pela mãe, mas mesmo assim vais tentar a tua sorte, com a desculpa que estás distraída.
  17. Pão fresco e fruta vão fazer parte de uma realidade muito longínqua e vais enjoar de pão de forma.
  18. Nunca comeste tantos ovos antes, como comes agora.
  19. Refeições deixam de ter horário, só porque estás na internet, ou a ver série...
  20. Ter uma farmácia doméstica passa a fazer todo o sentido.
  21. As coisas escondem-se nos locais mais improváveis e não, ninguém viu onde estão.
  22. Quando sobra dinheiro é porque te esqueceste de pagar alguma coisa.  
  23. No supermercado irás aprender a comprar em doses reduzidas, 2 cenouras, 1 tomate, sim porque nunca vistes tanta comida a estragar-se de uma só vez.
  24. Nunca vais saber o que cozinhar para o jantar.
  25. Acordar com um monte de loiça do dia anterior para lavar, dá-te vontade de voltar para a cama.
Aqui está uma lista de 25 itens mas ainda há mais, o que acrescentariam?
Márcia Ferreira


quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Residências Universitárias. Parte I

Setembro para muitos de vocês é um mês de grandes mudanças, ingressar num curso superior, mudar de cidade, conhecer novas pessoas e tomar grandes decisões. Este post tem como objectivo esclarecer sobre possíveis alternativas disponíveis para morar sozinha.

As residências universitárias são uma excelente alternativa para aqueles que financeiramente encontrem maiores dificuldades em suportar uma renda mensal e todas as despesas inerentes a uma casa, mesmo que compartilhada, água, luz, gás, pacote de internet e canais de televisão, líquidos de limpeza e manutenção doméstica, uma vez que os preços não oscilam muito para bolseiros ficando-se pelos 73,36€ com todas estas despesas incluídas (valor fixado 2013/2014). Valor este que é adicionado à bolsa de estudo.

Em regra todas as residências têm um regulamento geral de funcionamento que impede que visitas pernoitem no quarto sem autorização prévia, reservada apenas para casos muito especiais, a proibição de fumar nos quartos, o cumprimento das escalas de limpeza e utilização da lavandaria (caso exista), o horário em que se pode fazer barulho, que normalmente é até às 23horas, a utilização dos espaços em comum. Depois têm sempre um regulamento interno que especifica as regras a serem respeitadas na residência, como os compartimentos a serem limpos, limpezas dos electrodomésticos e espaços comuns, o que fazer com a loiça que fica dias intermináveis para lavar e a eleição do(a) delegado(a) que representa a residência junto dos serviços sociais do alojamento, entre outros.

Existem residências universitárias quer nas Universidades, quer nos Politécnicos, em Aveiro, Beja, Braga, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Covilhã, Évora, Faro, Funchal, Guarda, Leiria, Lisboa, Ponta Delgada, Portalegre, Porto, Santarém, Setúbal, Tomar, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu que variam nas suas condições e ofertas. Havendo residências com cozinha, salas de estudo, salas de convívio, casas de banho para a utilização de todos os residentes da residência, ou então, existem estas divisões por andar e como tal restrito a um número limitado de residentes.

Vantagens de morar numa residência:
  • Nunca se está sozinha visto que a maioria dos quartos são duplos e as zonas comuns são compartilhadas;
  • Serviço de lavandaria para toalhas de banho, roupa da cama e tapetes;
  • Não haver despesas adicionais, além de quotas ao(à) delegado(a) (quando acordado e incluído no regulamento interno) e nalguns casos em líquidos de limpeza, quando acordado previamente entre os(as) residentes do andar;
  • Liberdade em gerir os próprios horários;
  • Proximidade com espírito académico e praxes;
  • Partilha de experiências e apoio imediato dos(as) colegas
Desvantagens em morar numa residência:
  • Existência de roubos de alimentos;
  • Proibição de visitas durante o período nocturno;
  • Ausência de privacidade;
  • O risco de horários incompatíveis com os(as) colegas, resultando em barulho;
  • Burocracias no processo de mudança de quarto ou residência em caso de necessidade;
  • Necessidade em respeitar os horários de funcionamento dos electrodomésticos em comum que muitas vezes resultam em filas para cozinhar, lavar a roupa, utilizar casa de banho... 
Aqui fica uma breve apresentação do que consiste em viver numa residência com os seus pontos fortes e fracos. Mas ainda irá haver um segundo post com as especificidades dos principais pólos Universitários, por isso coloquem as questões que tiverem para que sejam respondidas. Quem mora numa residência, concordam?


Márcia Ferreira