terça-feira, 14 de abril de 2015

Salta uma rubrica como pipocas 5#


Se na semana passada sugeri um livro para os teus tempos livres, para esta semana apresento alguns filmes que fui vendo para agora dar um feedback e saberes se vale ou não a pena dares uma vista de olhos.

Como sempre há vários géneros, mistura de atores e para todos os gostos. Continua a ler e vê se encontras o teu filme para o próximo fim de semana, ou semana, ou agora…o que preferires.

The Truman Show


Duração: 103 min
Género: Drama
Cotação: 8,1 /10
Realização: Peter Weir
Escrito por: Andrew Niccol
Data de Estreia: 13 Novembro de 1998
Cotação Pessoal: 8/10


Normalmente aparecem nesta rubrica filmes mais recentes, mas quando a Joana Nunes nos seus minutinhos culturais sugeriu este, fiquei com curiosidade. Numa noite com algum sono e que não me apetecia ver um filme com duas horas e tal dei-lhe uma oportunidade e não me arrependi.
 A história baseia-se em Truman que desde do seu nascimento é ator de um really show sem que o soubesse. A sua vida era acompanhada por milhares de americanos, o rumo das suas escolhas totalmente controlado e todos os que conhece são atores que seguem um guião para as audiências. Basicamente uma "Casa dos Segredos" da vida real. Se neste programa vemos como a intervenção de terceiros é determinante, neste filme vemos as mesmas subtilezas num modo mais camuflado (pelo menos para ele). Será que temos total controlo da nossa vida? Será que a nossa felicidade só depende de nós, como tantas vezes o fazem crer? Estas foram as questões que me levaram a procurar resposta com este filme e sinceramente ainda não cheguei a qualquer resposta. Qual é a tua opinião?

Homefront



Duração: 100 min
Género: Drama, Acção, Crime
Cotação: 6,5 /10
Realização: Gary Fleder
Escrito por: Sylvester Stallone, Chuck Logan
Data de Estreia: 05 Dezembro de 2013
Cotação Pessoal: 7,5/10


Já sabes que não sou grande fã de filmes de ação (se não sabes ficas a saber) em que andam por ai à porrada só porque sim, mas este até que gostei (bastante). O desenlace do filme é ligeiramente rebuscado. Phil mudou-se recentemente com a filha de 10 anos para uma nova cidade depois da morte da sua esposa. Na nova escola a filha é enfrentada por um bullie e dá uma resposta à altura despertando a ira da família deste. 
Apesar de Phil tentar resolver o assunto a bem, a mãe do miúdo pede ajuda ao seu irmão que não é nada mais, nada menos do que o temível Gator, um traficante de droga que tem o seu bando disposto a cumprir as suas ordens. Tudo piora quando Gator descobre que Phil é um ex-agente da Força Administrativa de Narcóticos e alia-se a um inimigo deste para lhe declarar "guerra". Assim, o que aparentava ser uma cidade tranquila, tornou-se palco de um ajuste de contas de um para todos, em que o maior é chamado a aplicar os seus conhecimentos enquanto agente.


The Equalizer - Sem Misericórdia



Duração: 132 min
Género: Acção, Crime, Thriller
Cotação: 7,2 /10
Realização: Antoine Fuqua
Escrito por: Richard Wenk, Michael Sloan
Data de Estreia: 25 Setembro de 2014
Cotação Pessoal: 7,8/10


Mais um filme em que o maior resolve todos os problemas sozinho e executa a matança do grupo sem grandes dificuldades e sem precisar de muita coisa. Contudo, ao contrário do filme anterior em que o Phil tinha como principal motivação, moralmente justificável, a defesa e a luta pela filha, neste caso este usa as suas capacidades de ex agente da CIA para promover a justiça com as suas próprias mãos consoante o seu livre arbítrio. No entanto, devo reconhecer que gostei mais deste devido à excelente representação de Denzel, que não desilude no papel atribuído.
Para perceberes melhor, Bob, é um ex agente da CIA à procura da redenção, com uma rotina metodicamente controlada, quase autista, que mudou totalmente a sua vida. Trabalha numa loja de materiais de construção e à noite dedica-se à leitura para honrar a memória da falecida mulher. São estas leituras que o levam a conhecer uma jovem prostituta russa que partilha o mesmo gosto. Quando esta é espancada na sua presença, sozinho enfrenta a máfia russa que gere uma rede de prostituição. Iniciando assim um ajuste de contas e uma luta pelo bem e pela sua defesa pessoal e daqueles que mais gosta.



Into the Woods


Duração: 125 min
Género: Aventura, Fantasia e Musical
Cotação: 6,1 /10
Realização: Rob Marshall
Escrito por: James Lapine
Data de Estreia: 01 Janeiro de 2015
Cotação Pessoal: 5/10


Aqui temos um musical, acho que é o primeiro que aparece por estes lados e não sei se não será o último. Não sou fã de musicais, já não via um desde "Os Miseráveis" e para dizer a verdade nem gostei muito desse. Ao contrário de "Os Miseráveis" notei um certo esforço na elaboração de músicas e inseri-las no contexto da história, em vez de dar sonoridade às falas como no primeiro.
Este filme, conta a história da Cinderela, do capuchinho vermelho, do pé de feijão, da Rapunzel e a dos padeiros (não me lembro muito bem qual é).
Este filme é bastante fiel às versões originais antes de serem embelezadas pela Walt Disney, o que lhe confere algum terror à situação. Todas as histórias se enlaçam através de uma bruxa que desejava regressar à sua juventude e beleza plena e para isso prometeu ao padeiro dar-lhe um filho em troca da capa do capuchinho vermelho, dos sapatos de ouro da Cinderela, da vaca do miúdo do pé de feijão e do cabelo da Rapunzel. 
Conseguiam fazer o mesmo filme um bocadinho mais pequeno e nós agradecíamos por isso, até pode ser engraçado sairmos da esfera do príncipe encantado que afinal é um traidor, ou de um “viveram felizes para sempre” para um príncipe cego, mas chega um momento que ficamos "ok, já percebemos a ideia, pode acabar".

Fifty shades of Grey


Duração: 125 min
Género: Drama, Romance
Cotação: 4,2 /10
Realização: Sam Taylor-Johnson
Escrito por: Kelly Marcel, E.L. James
Data de Estreia: 12 Fevereiro de 2015
Cotação Pessoal: 5,5/10


Aviso já que não li o livro e não conhecia a história para além das inúmeras críticas que li acerca do filme. Sei que desiludiu muita gente, mas livre de preconceitos e ideias pré concebidas, encarei este filme como um prólogo do livro. Admito que fiquei com curiosidade de ler o livro, pois acho que existe alguns pormenores que o filme deixa escapar e que eu gostaria de juntar as peças do puzzle.
Anastacia, uma estudante de literatura inglesa, foi entrevistar Mr. Grey em substituição da sua colega de casa. Este rapidamente se encanta com ela e quer-se envolver sexualmente à sua maneira, digamos assim. Grey revela-se um príncipe encantado com o senão do sado masoquismo (na perspectiva da sua amada).
O filme não é excelente, os mais exigentes vão querer mais do que isto, mas eu que só queria um filme de entretenimento fiquei satisfeita. Acho que as imagens não são chocantes, a exploração da nudez não é pornográfica, a exploração do erotismo do relacionamento é feita com termo e medida. No entanto, achei que actriz exagerou um bocado na interpretação. O moço dá-lhe um beijo e ela quase tinha um orgasmo, contudo, talvez por esse facto, tenha sido escolhida por Grey, já enquanto Anastacia, porque deve alimentar o ego de qualquer homem o facto de só com um beijo ter meio caminho andado.

Gostaria de saber a tua opinião sobre estes filmes. Acredito que já tenhas visto alguns até porque, pelo menos no último, fiz questão de deixar passar o mediatismo gerado pelo marketing que criou expectativas e consequentemente polémica, foi apenas por isso!

2 comentários:

  1. Ainda só vi o último! Tenho mesmo de por os filmes em dia!
    beijinhos
    http://direitoporlinhastortas-id.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Inês,

      Se quando decidires fazer quiseres uma escolha fundamentada tem pelo blog várias dicas.
      Concordas comigo em relação ao último?

      Beijinho

      Eliminar