terça-feira, 19 de maio de 2015

Salta uma rubrica como pipocas #7

Já estavas a morrer de tédio, a pensar meter fim a tal sofrimento... mas espera... pode ser que encontres por aqui alguma sugestão para ocupar os teus tempos livres. Como sempre tentei abordar diferentes géneros.

The Cobbler


Duração: 99 min
Género: Drama, Comédia e Fantasia
Cotação: 5,8 /10
Realização: Thomas McCarthy
Escrito por: Thomas McCarthy, Paul Sado
Data de Estreia: 14 Maio de 2015
Cotação Pessoal: 5,5/10

Antes de começar, alguém me explica como é que um drama pode ser comédia, quem é o ser insensível que se ri com a desgraça alheia?! Quem???? Não tens coração?

O filme começou bastante bem, com uma contextualização histórica, com uma lição moral que prometia fazer reflectir sobre os julgamentos alheios e que só devemos mencionar o outrém "quando calçamos os seus sapatos"... se virmos bem até que é filosófico!

A história concentra-se no sapateiro que herdou a profissão já do tetra avô e que tinha uma máquina usada apenas em ocasiões especiais. Até que descobriu que essa mesma máquina tem poderes especiais e quando usada permite que te transformes na pessoa dona do sapato consertado. 

O argumento até que é interessante e prometia um bom filme, mas a partir daqui tudo descambou, tornou-se previsível, repetitivo, exagerado e com piadas ocasionais mesmo ao estilo do Adam Sandler. Mas vá, não sejamos mal agradecida(o)s é uma comédia de 99 minutos e isso é dificílimo encontrar nos dias de hoje que parece que o povo anda todo deprimido e só vê dramas.

Camp X-Ray




Duração: 117 min
Género: Drama, Guerra
Cotação: 7,1 /10
Realização: Peter Sattler
Escrito por: Peter Sattler
Data de Estreia: 17 Outubro de 2014
Cotação Pessoal: 6/10

Este filme foi surpreendente, não pela excelente representação, nem pela fotografia de óptima qualidade e até o argumento deixa um tanto  a desejar... Mas, pela sua imprevisibilidade! Estás à espera de um filme de guerra, em que finalmente a Kristen desempenha um papel real. Só que não! 

A Cole abraçou a difícil missão de vigiar um bando de terroristas detidos devido ao 11 de Setembro e garantir que estes se vão mantendo vivos por mais tempo... para qui ça possam sair um dia, com a vida destruída e sem qualquer previsão de oportunidades, para poderem viver uma vida infeliz para todo o sempre. As regras eram simples, não deixar que estes entrassem na sua cabeça e descobrissem seja o que for sobre a sua vida.

Vá o que sabemos da Kristen? Que já namorou com um lobisomem, com um vampiro, com um caçador... reparando bem, ela ainda não tinha namorado com nenhum muçulmano terrorista e faltava esse na sua colecção de amores improváveis. E é isso... um filme de guerra rapidamente torna-se um romance e centrado num amor impossível entre um detido e a sua vigia que apesar de demorar a começar tem um desenrolar bem rápido. Por outras palavras, demoras a perceber o objectivo do filme e quando finalmente percebes, ficas preso ao ecrã porque queres ver como acaba, apesar de saberes como acaba. Apenas não te ocorre momentaneamente.

Million Dollar Arm



Duração: 124 min
Género: Drama,Desporto e Biografia
Cotação: 7,1 /10
Realização: Thomas McCarthy
Escrito por: Jon Hamm, Aasif Mandvi, Alan Arkin
Data de Estreia: 16 Maio de 2014
Cotação Pessoal: 7,1/10

Este filme baseia-se numa história real e é da Disney, aposto que já te convenci a vê-lo só com estes dois argumentos.

JB (não é nome de whisky? não é que perceba muito de bebidas alcoólicas mas suspeito que sim) é um agente desportivo, que vive uma vida desafogada, com uma casa grande, um carro bom, uma modelo na cama e tudo mais o que queria até que... o negócio começa a correr mal e é desafiado pela vida a procurar alternativas. E como é que ele fez isso? Viu o Futre (para quem não sabe é um ex-jogador de futebol português que agora se dedica a publicidade de estimulantes sexuais) a falar da importação de um chinês para jogar no Sporting e pensou "porque não ir buscar dois indianos para jogar beisebol? Afinal tem muita gente, jogam críquete e seriam facilmente convencidos com o sonho americano!". 

E assim o fez... viajou para a Índia, aceitou a inscrição de várias crianças e jovens indianos, fez castings (sim do género dos Ídolos), encontrou dois indianos prodígios e levou-os para os EUA para os tornar verdadeiros jogadores de beisebol. O filme retrata todo o seu percurso e termina com imagens reais. Sinceramente gostei, concordo com a pontuação e a qualidade da Disney esteve sempre presente... a mensagem de que o amor vence barreiras.


Já conheces algum destes filmes? Concordas?

Sem comentários:

Enviar um comentário