quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Salta uma rubrica como pipocas #15

Ena 15! Tantos! São muitos filmes que foram passando aqui pelo blog, uns super conhecidos, outros nem por isso, uns filmes mesmo, mesmo, mesmo bons outros... nem vale a pena falarmos disso! Mas todos serviram para dar dicas de como aproveitares o teu tempo livre e com quê... Não, a rubrica não vai acabar, talvez esteja ligeiramente nostálgica hoje... ou talvez não.  Vá, vamos ao que interessa.

True Story


Duração: 99 min
Género:Triller, Drama e Mistério
Cotação: 6,3 /10
Realização:Rupert Goold
Escrito por: Rupert Goold  e David Kajganich
Data de Estreia: 17 de Abril de 2015
Cotação Pessoal: 6,9/10

Mike Finkle é um jornalista com uma carreira promissora no New York Times. Ambicioso, rumou até ao seu despedimento. 
Chris Longo é um homem com uma bela família, que acaba a viver solitariamente e na clandestinidade.
O que estes homens têm em comum? O nome, espera, já explico. O Chris usa o nome do Mike e por isso as suas vidas encontram-se num momento desesperante da vida de ambos. Preso por matar toda a sua família, Chris promete contar a sua versão dos factos a Mike. Desempregado e sem perspectivas, ele alinha e decide escrever um livro. O que tinha tudo para ser o inicio de uma bela amizade tomou um rumo curioso que dá piada ao filme.
Tem o James Franco e por isso já vale a pena ver o filme. Baseado em factos reais, o argumento foi inteligentemente aproveitado e muito bem realizado. Uma representação irrepreensível, das quais destaco a de Jonah Hill que prova que sabe fazer mais do que apenas comédias. 
Este filme prova como com um minúsculo elenco e poucas personagens consegues criar um bom filme.

Life of David Gale



Duração: 130 min
Género:Triller, Drama e Crime
Cotação: 7,5 /10
Realização: Alan Parker
Escrito por:Charles Randolph
Data de Estreia: 08 de Agosto de 2003
Cotação Pessoal: 8/10

Mais um filme em que o homem que está preso decide meter a boca no trombone a uma jornalista. David Gale é um professor universitário, um génio, lutador assumido contra a pena de morte juntamente com Constance Harraway. Curiosamente vê-se ele mesmo agora condenado à pena de morte nas próximas 72horas, condenado por matar essa mesma colega, decide contactar Bitsey Bloom para contar a sua versão dos factos.
Bitsey, com base na história dele, começa a construir o puzzle que dá lugar a um filme espectacular, um final imprevisível, que te prende ao ecrã desde o primeiro minuto. 
É um filme bem comprido, dura imenso tempo, mas não o sentes a passar por estares tão concentrada nele. Aconselho para uma tarde de frio a acompanhar um chá, aposto que não te vais arrepender. Tem um argumento envolvente, inteligentissimo, a qualidade da fotografia não é a melhor mas não é um filme que tenha esse objetivo, aposta claramente na realização e nem tanto na imagem nem no guarda roupa.

The Age of Adaline


Duração: 112 min
Género:Drama, Romance
Cotação: 7,3 /10
Realização:Lee Toland Krieger
Escrito por:J. Milles Goodloe, Salvador Paskowitz
Data de Estreia: 29 de Abril de 2015
Cotação Pessoal: 7,5/10

Adaline sofre de um acidente misterioso que a afecta ao nível celular e por isso nunca mais envelhece nem sofre qualquer alteração física. Gere a sua vida e a sua identidade de forma a nunca ser descoberta, e tem conseguido manter o objetivo até se apaixonar.
Este filme começa por ser narrado, dando a ideia de uma história pouco realista e de contos de fadas... fazendo com que logo nos primeiros minutos consigamos tirar a pinta ao filme. O argumento é giro, a história promete mas depois a forma como contextualizam o filme é que estraga tudo, meio frankstein, rabuscado mesmo, neste os meios não justificam os fins. Mas, o que acontece entre os 2 momentos estranhos vale a pena ver pela lição que retiramos, que a beleza e a juventude não é tudo na vida e que a vida eterna não é tão perfeita como julgamos à partida.
Se estás disposta(o) a ignorar um ou outro fenómeno estranho, então sim, aconselho a veres este filme.

Já conheces estes filmes?

Sem comentários:

Enviar um comentário